Um Domus de “Coração muito grande”…

Se pela manhã as expectativas não eram altas (os Benjamins jogavam contra a Académica que era – e continua a ser – líder só com vitórias), no período da noite havia a curiosidade de se ver um sempre apetecível Domus x São João “B”, pelos Distritais de Coimbra, em seniores.

Quem viu a equipa caseira ir para o intervalo a perder (contra a corrente do jogo) por 0-1 e viu, durante boa parte do segundo tempo a desvantagem avolumar-se até um incompreensível 0-3, acredite… jamais podia dar como garantido qualquer resultado final.

Mas, atenção: incompreensível significa, neste caso, o que se passava em campo e, jamais por duvidar-se do verdadeiro valor da equipa coimbrã, recheada de jovens valores e completada por um Guarda-Redes (Zé Cruz) que tudo fez – e, por vezes, o impossível – para manter inviolável a sua baliza!

Só que… há dias assim. O Domus diminuiu para 1-3 e foi ainda mais para cima do adversário!

Chegou ao 2-3 e aí, o afamado público da casa, também cresceu  sobre um adversário que perdeu o norte… levou o golo de empate, levou o 4-3 e levou mais um golo, sendo que este não foi considerado, por já ter sido alcançado já depois do apito final…

Sim! um 4-3 memorável, numa noite memorável para os ultras de Portomar, que fez relembrar embates que aconteceram há pouquíssimo tempo, na altura da subida aos nacionais e em encontros de arrepiar para quem aprecia Futsal a sério, contra equipas vindas de um outro mundo no panorama do fortíssimo Futsal luso.

Quem foi, guardou na memória a vitória e ela lá ficará por muito tempo. Quem não foi, perdeu uma oportunidade de ver, in loco, aquele velho Domus Nostra que ofereceu a vitória a Mickey, o aniversariante do dia – mas, que não jogou – e brindou a todos, como nos grandes espetáculos do seu amado Cabanão!

Não restam dúvidas: o Domus Nostra começa a ser novamente, aquele que nos habituou em jornadas gloriosas! 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mira Online