GD Praia de Mira 1 x 2 Montemorense: Vitória da eficácia forasteira

O Estádio Municipal de Mira assistiu a uma reviravolta da equipa que viajou desde Montemor… um resultado que tem tanto de lisonjeiro para os visitantes como de alerta para os homens de Emanuel Cuco.

Do encontro que opôs a turma da Praia de Mira ao forte (fisicamente falando…) Montemorense, não há muito por se dizer. Este foi um jogo que não primou pela beleza futebolística e também provou que falta à equipa praiana um pouco mais de pulmão, uma vez que os seus jogadores, pelos mais variados motivos, não conseguem se reunir em quantidade nos dois treinos semanais: faltam treinos tanto a nível tático como a nível físico… o que acaba, como nesta tarde de Domingo, por se refletir no resultado final.

Mas, se a equipa comandada por Carlos Miguel foi bastante assertiva nos seus contra-ataques e na leitura de jogo durante boa parte do tempo, também não é menos verdade que os comandados de Emanuel podiam (e deviam) ter ido para o balneário, ao intervalo, com mais do que o magro 1-0 conquistado pelo golo do defesa central Telmo (que na segunda parte fez de ponta de lança por bastante tempo, na ânsia de amealharem ao menos um ponto).

Os minutos iam passando e as oportunidades, sendo desperdiçadas (incluindo um penalty falhado aos 6 minutos de jogo). Sendo assim, só restava aos jogadores visitantes, fazerem pela vida na segunda parte: foi o que aconteceu, primeiro através de um livre batido por Wilson e depois, através de Ruben, que ditavam uma reviravolta penalizadora para a equipa caseira que merecia um golo para, ao menos, colocar um pouco mais de justiça no placar.

A vitória final sorriu aos de Montemor que mostraram mais cabeça nos momentos de apuro e pernas, conseguindo, desta forma, conquistar 3 preciosos pontos nesta deslocação.

Quanto à arbitragem, apenas algumas notas: embora sem influência no resultado final, Ricardo Silva (o árbitro principal) demonstrou quase sempre a intenção de ser mais papista que o papa, com alguma arrogância na forma com que se dirigia aos jogadores (tanto de um lado como de outro, diga-se em abono da verdade). É necessário que a arbitragem tenha sempre o domínio durante o tempo de jogo, mas um aparente excesso de protagonismo nunca foi bom conselheiro para ninguém!

Jornal Mira Online

Este slideshow necessita de JavaScript.

GD PRAIA DE MIRA – TOURING 1970

Tiago Estrela, Facão, Carola, Telmo, João Viegas, Milheirão, Bruno Gil, Steven, Hugo Silva, Tiquinho e Edgar.

Jogaram, ainda: Tó Silva, Ricardo, José Viegas, Hugo Gil, Gonçalo

Treinador: Emanuel Cuco

AC MONTEMORENSE 

Hugo Monteiro, Rafael, Wilson, Mário Santa Rita, P.A., Diogo, Miguel Carvalho, Mário Almeida, Ruben, Tiago Simões e David.

Jogaram, ainda: Nelson Martins, Pedero Aleixo e Vítor Hugo

Treinador: Carlos Miguel

ARBITRAGEM

Ricardo Silva (principal), Luís Pascoal e José Simões (auxiliares)

MARCHA DO MARCADOR

1-0 Telmo (24 minutos); 1-1 Wilson (54 minutos); 1-2 Rúben (63 minutos)

ADVERTÊNCIAS

Pedro Cambraia (Praia), Mário Santa Rita, P.A., Mário Almeida, Rúben, Pedro Aleixo (Montemorense) – TODOS OS CARTÕES MOSTRADOS FORAM AMARELOS