EDITORIAL: “A andar por Mira e a pensar no mundo como um todo”

Numa rápida passagem por ruas e estradas do Concelho de Mira, é possível notar que a recomendação para as pessoas ficarem em casa, tem sido bem recebida, na generalidade.

As ruas estão quase desertas de pessoas e os carros circulam em quantidade bem mais pequena que o habitual.

Muitos estabelecimentos comerciais estão fechados por iniciativa própria. Já as lojas, cafés, mini-mercados e super-mercados que se encontram abertos, na sua grande maioria estão a funcionar com restrições (bem recebidas pela generalidade das pessoas, sempre em filas, a aguardarem a vez). Percebe-se que o ambiente é de acalmia, embora a palavra de ordem, muitas vezes ouvida seja a da “preocupação” de cada um, pelo momento atual.

Quer seja no ex-libris do Concelho, a Praia de Mira, quer seja nas aldeias ou no centro da vila, tudo parece recordar que bem mais importante que a agitação da ida à praia em dia de sol ou o nervoso miudinho dos resultados incertos nos jogos de futebol, é a preservação da saúde individual e coletiva.

Todos são responsáveis pela qualidade de vida dos seus e, em última análise, da sociedade em geral. Este é o momento, quem sabe, mais difícil de toda a civilização nas últimas décadas.

Por este motivo, com gestos, por mais pequenos que sejam, de respeito à importância desta Pandemia, todos estão a contribuir para que ela seja exterminada e para que o vizinho do lado também se sinta mais seguro.

De uma coisa todos podemos ter a certeza: depois desta COVID-19, nada mais será como dantes e, se for… muito mal sinal estaremos a dar como civilização!

Francisco Ferra / Jornal Mira Online

Este slideshow necessita de JavaScript.