Desta vez, o Domus “não compareceu”

Há dias (neste caso, foi uma noite), em que nada sai como o esperado…

Era para ser um clássico do futsal regional, mas cedo se percebeu que o São João “B”, que de “B” quase nada teve, levaria vantagem no final do jogo em que opunha a equipa conimbricense ao Domus Nostra, no Cabanão.

Reforçado por alguns valores que jogam na equipa que disputa o Nacional da Segunda Divisão, o São João teve de jogar apenas dois minutos empatado, para colocar-se na posição de vencedor… posição, esta, que nunca mais abandonou!

Um Domus Nostra demasiado permissivo e, totalmente alheio às jogadas (verdadeiramente) atacantes (o seu primeiro remate à baliza adversária aconteceu aos 11 minutos de jogo), foi para o intervalo com um resultado (0x4) que já dava garantias de que só um milagre podia reverter uma derrota anunciada num resultado histórico.

Talvez por conta de duas viagens à Miranda do Corvo em pouco tempo, por conta de um jogo interrompido e pelo cansaço causado por entrar em campo no sábado, na segunda e na quarta-feira, pode-se entender o fraco desempenho da equipa mirense. O que não se entende, é a diferença enorme de atitude entre as equipas que estavam em campo. Enquanto o São João jogava um futsal ordenado e combativo, o Domus, na maior parte do tempo, foi uma equipa adormecida e que deixou de lado a sua famosa garra em campo. O Domus Nostra desta quarta-feira, só esteve, realmente, no jogo, nos dez últimos minutos, quando encontrou no regressado Marquito e no bom jogador que dá pelo nome de Cristiano, uma dupla capaz de incomodar um pouco que fosse o excelente GR do São João, Cláudio.

Resultado justíssimo que não ilustra a diferença entre as equipas, mas sim, a diferença que houve neste jogo. Agora, que venha o PRODEMA, neste sábado…

Mira Online

Este slideshow necessita de JavaScript.

DOMUS NOSTRA:

Rafa, Jorge, Kevin, David Nicolau, Brian, Tiago Bastos, Fábio Rumor, Rúben, Zezito, Jordan, Marquito, Cristiano.

Treinadores: Cláudio Cruz e Miguel Grego

SÃO JOÃO “B”:

Cláudio, Simão, Sampaio, Filipe Cantante, Pedro, Diogo Simões, Bruno, Vasco, Rodolfo, Conde, Faria, Diogo Couceiro

Treinadores: Manuel Cantante, Pedro Marques e Pedro Areias

MARCHA DO MARCADOR:

0X1 – Bruno, 0x2 Vasco, 0x3 Diogo Simões, 0x4 Vasco – primeira parte

0x5 – Vasco, 1×5 Cristiano, 1×6 Faria – segunda parte

ARBITRAGEM:

Nuno Nascimento (principal), George Silva (segundo), Ricardo Silva (cronometrista)