A arbitragem ia dando cabo de um belo jogo

Domus Nostra e Prodeco não fizeram um jogo de encher os olhos, longe disso! Mas, a voluntariedade, a energia despendida, o querer vencer e algumas belas jogadas que resultaram em golo, mereciam um melhor desempenho de uma equipa de arbitragem (cronometrista, incluída) que tivesse um pouco mais de categoria.

Vasco Talhadas, José Tinoco e Joana Fortunato são os nomes de quem parece terem visto um outro encontro de Futsal em Portomar.

A primeira parte terminou com 1×3 favorável à equipa visitante que tinha tanto de injusto pelo que acontecera nos primeiros 20 minutos, como tinha de prova de que a praticidade do Prodeco estava a resultar em pleno: aproveitou as oportunidades que lhe apareceram pela frente para ir aos balneários com a quase certeza de que o Domus não conseguiria recuperar. Grande engano!

Numa segunda metade bem mais mexida, o Domus não demorou muito até chegar ao empate. Jogando verticalmente na maior parte do tempo e pressionando bem alto, empatou e podia ter vencido tamanho o caudal ofensivo que tinha.

Foi aí que entrou a equipa de arbitragem…

Uma expulsão “por palavras”  de Ricardo Oliveira, que estava no banco de suplentes onde, segundo palavras de Miguel Grego (que estava ao lado do atleta) este limitou-se a dizer à cronometrista “abram os olhos”, teve o condão de diminuir a força atacante da equipa de Portomar.

Mais: para ser marcada a 6ª falta do Prodeco (e consequente livre direto), foram precisas 2 faltas no mesmo lance! É certo que Fábio Rumor permitiu a defesa do GR João Ferreira, mas depois disto ainda aconteceram 2 penaltys bastante claros… que a equipa de arbitragem preferiu ignorar, sabe-se lá por qual motivo!

Em suma: o Domus Nostra desperdiçou uma excelente oportunidade de ter mais 2 pontos no campeonato a somar o que conquistou. Mas, para além de ter perdido oportunidades incríveis na reta final do encontro, bem pode queixar-se de uma dupla que, de árbitros, pouco ou nada tem… e de uma cronometrista que transformou um “abram os olhos”  numa qualquer ofensa pessoal que merecesse a expulsão de um jogador que, até aquele momento, vinha sendo preponderante tanto nas manobras ofensivas como defensivas da equipa caseira.

O desporto merece agentes mais bem preparados que os que se apresentaram ontem, no Cabanão…

 

Melhores em campo: Ricardo Oliveira e Castanheira, pelo Domus e Tiago e João Ferreira, pelo Prodeco

Arbitragemnota 1

Público: Razoável em quantidade e muito bom a apoiar as suas equipas

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mira Online